Dietas sob outra perspectiva – Parte I

Em primeiro lugar quero dizer que não sou médico, não sou especialista e não sou psicólogo.Dietas-sob-outra-perspectiva

O que venho transmitir aqui “não é” uma fórmula mágica para emagrecer.

Aaaaaaahhhhh!!!!!!!

É só uma coletânea de coisas e causos que, depois de muita leitura, pesquisa, suor e lágrimas, me fizeram  refletir sobre minha vida de obeso.

Já fiz diversas dietas,  já aderi a algumas alucinações científicas, já ouvi milhares de receitas,  conselhos e simpatias. Já tomei  água de alho de manhã, já andei com rosa no bolso e banho de água de arroz, então..

Mas do que estou reclamando? Depois desse arsenal de técnicas, dicas, sugestões e blá-blá-blás seguidos à risca e com muita força de vontade, já devo ter perdido no mínimo uns 20 anos.


Pra começar eu gostaria de fazer uma pergunta:

– “Queremos emagrecer pra quem?”

A resposta para essa pergunta é cruelmente difícil.

Eu, falando por mim, diria: “Queremos emagrecer para os outros”.

Alguns me dizem: ”Ah não mesmo! Eu quero emagrecer para ter saúde”!

– Tá, então qual a primeira coisa que você fará quando emagrecer?

90% das pessoas respondem:  Comprar roupas novas.

Que significa:  Comprar roupas números menores.

Para que: Para me sentir bem.

Você por acaso já viu alguém esparramado no sofá de pijama comendo chocolate se sentir mal?

O motivo então pode ser outro. Mesmo sem admitirmos, somos movidos a elogios.
Me diga se não é a glória quando nos falam: “Nossa! Como você emagreceu, parece outra pessoa!”. É bom né?

Mas e se por outro lado acontece o que me aconteceu em um tenebroso dia desses.  Eu estava em uma sacrificada dieta de cinco meses e meio, morrendo de fome, mas “feliz”. Já tinha perdido 14kg (perdido não é bem o termo, digamos que só esqueci onde coloquei pois acabei achando novamente), quando encontrei um amigo que não via há  uns 5 anos. Dá pra imaginar né?!

– Caaaara, como você engordou!! Cê tá enoooorme!!

Cheguei em casa com vontade de comer um boi só de raiva. Tive que me contentar com um prataço de talharin integral.

Agora imagine você, uma paciente recente de lipoaspiração, encontrar uma amiga minha, recordista incontestável de gafes, e receber os parabéns pela gravidez.

Esses encontros devem, com certeza, fazer engordar também a lista de assassinatos sem causa aparente.


Precisamos encontrar uma causa mais sólida para lutar e não desistir. A obesidade é o foco do problema, é o inimigo a vencer. Precisamos fazer um inventário de nossas vidas, identificando todas as ocasiões em que ficamos insatisfeitos com nosso peso, uma coisa bem pessoal e não um  comentário de alguém.
Para vencer o inimigo temos que ter em mente:

  • um objetivo,
  • uma estratégia,
  • uma boa execução,
  • e muita atenção,

O Inventário é o ponto de partidaninguém vai a lugar algum se não sabe onde está.

O Objetivo  – objetivo é um sonho com data e hora para acontecer , seja para perder 2 ou 200kg temos que programar cada etapa do processo para que isso aconteça dentro de um prazo pré-estabelecido. Lembre-se que este precisa ser tangível.

A Estratégiatrace um perfil de comportamentos que inclua, por exemplo, atividade física e alimentação saudável. Nada radical. Quanto mais lento for o emagrecimento, maiores as chances de não se recuperar o que perdeu.

A Execução – Precisa ser sem stress, sem sacrifícios e sem se privar dos pequenos prazeres, uma vez ou outra um chocolatinho é perfeito. O que temos que valorizar é um bom trabalho realizado, e o peso perdido será o salário recebido.

Atenção + Atenção + Atenção + Atenção – o inimigo estará sempre à espreita, ao menor descuido ele volta a atacar.

Nos próximos posts vou falar muito mais sobre isso e mais algumas formas interessantes de se equilibrar a dieta que estão funcionando para mim.

Até a próxima!

Por: Luis Andrade

Publicado em Artigos, Dietas Marcado com: , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Busca Personalizada
Brasil na Mesa Recomenda

Receitas por Email